13 de fevereiro de 2012

0

12 erros que os pais cometem

 
Este material foi desenvolvido com o objetivo específico de aprimorar as habilidades
dos Pais, Educadores e todos aqueles que lidam com a Educação de crianças e
jovens no dia a dia.
Os 12 Erros descritos poderão guiar e ajudá-la a causar
um profundo impacto na educação dos seus filhos no que refere-se a
ensino, disciplina, respeito, comunicação e qualidade do seu
relacionamento com seu filho.
Quando os seus filhos estiverem para entrar na adolescência, você
estará um passo à frente e por esta razão poderá aplicar estratégias
eficientes para esta nova fase da vida.
Se os seus filhos já são adolescentes este guia poderá ajudá-la a fazer
as correções que você precisar.

 DICA nº 1 – MANTENHA OS FILHOS LONGE DOS CONFLITOS
DOS ADULTOS

Muitos pais solteiros, separados ou divorciados não imaginam como falar
a respeito do cônjuge na presença dos filhos. Devido aos ressentimentos
e situações ainda não resolvidas acabam por destilar toda a amargura nos
comentários que fazem na frente dos filhos e isso faz com que os filhos
cresçam com uma péssima impressão do pai ou da mãe.
Não importa como você se sinta sobre seu ex. Dê ao seu filho a
possibilidade de formar a própria opinião a respeito do tipo de
relacionamento que ele quer continuar a ter com o pai ou a mãe.
 Não permita que seus filhos se envolvam nos conflitos dos adultos, quer
seja presenciando ou sendo usado como `moeda de troca`. Em hipótese
alguma jamais permita que seus filhos sejam punidos sendo privados de
terem contato com o seu ex, só porque vocês não estão mais juntos.
Tomando esses pequenos cuidados, você estará ajudando seu filho a ter
uma visão saudável e positiva a respeito dos relacionamentos e a
desenvolver estratégias para lidar com os conflitos. Com certeza, eles a
respeitarão mais por isso.

 DICA nº 2 - ENSINE OS FILHOS A SEREM RESPONSÁVEIS PELOS
PRÓPRIOS ATOS.

Como pais, nós queremos proteger sempre nossos filhos de todo o mal.
Muitas vezes acabamos por tentar proteger os filhos deles mesmos o que
mostra-se danoso, pois fazendo isso, os pais tornam-se um empecilho no
processo de desenvolvimento do amadurecimento dos filhos e na
construção de conceitos ético e moral.
Quando os filhos são pequenos e dependentes de nós, somos
responsáveis pelo seu bem estar e segurança. A medida que ficam
mais velhos, temos de ensiná-los a serem responsáveis, e nesta fase
ensinaremos aos filhos valores familiares e valores morais que servirão
de base para a vida deles.
Para que os filhos tornem-se adultos independentes e auto-suficientes,
temos que instilar neles a importância de serem responsáveis e
aprenderem a arcar com as conseqüências dos atos que praticam.
Por isso, não se apresse em sair correndo para ajudá-los e jamais resolva
os problemas deles. Eles deverão ser ensinados a desenvolverem as
próprias estratégias para solucionar os conflitos e fortalecerem a própria
estrutura emocional para arcarem com as conseqüências que virão
quando algo der errado.
Crianças cujos pais entram na frente para resolver tudo, acabam por
tornarem-se fracos moral e emocionalmente para gerirem a própria vida
quando adultos. Continuam eternos bebezões , dependentes dos pais
para tudo. Crescem confiando que os outros sempre estarão lá para
resolver os problemas deles.
Você deve conhecer adultos que ainda aos 40 anos moram com os pais e
são solteiros, pois não conseguem estabelecer um relacionamento. Ou
ainda, casos em que apesar de casarem, moram próximo aos Pais e
quase sempre recorrem a eles para todos os problemas que enfrentam.

DICA nº 3 – OFERECER AOS FILHOS OPÇÕES DE ESCOLHA

Uma das melhores maneiras de desenvolver as habilidades de
pensamento crítico do seu filho é ajudá-la a tomar decisões. Ajudar o seu
filho a desenvolver estas habilidades vai requerer que os pais estejam
sempre atentos às situações do cotidiano.
Quando os filhos são pequenos as situações do cotidiano vão girar em
ter de tomar decisões sobre qual o brinquedo que a criança quer, o que
deseja vestir, etc, porém a medida que eles crescem as situações do dia a
dia tornar-se-ão mais sofisticadas e exigirão um nível cada vez mais
profundo de decisão, pois implicarão em conseqüências que precisam ser
refletidas.
Assim, para ajudar seu filho na difícil tarefa de tomar decisões, quando
eles ainda forem pequenos, comece oferecendo opções. Aqui é preciso
ter a seguinte cautela: lembre-se sempre que é o adulto que seleciona as
opções. Qualquer uma delas que o seu filho optar estará dentro do que é
aceitável também para você.
Desta forma, você estará permitindo que a criança escolha e decida por si
mesma.
A medida que os filhos vão crescendo, entrando na adolescência, é
preciso continuar sugerindo as opções, porém com um pequeno ajuste:
permita que o jovem também ofereça opções, e juntos procurem adequar
as opções de ambos os lados e então selecione duas que melhor atendem
a questão e permita que a escolha seja feita.
Ajudar os filhos a tomar decisões não significa permitir que eles decidam
tudo. Afinal existem situações que caberão somente aos pais decidirem,
pois envolvem uma visão de futuro,ou ainda da segurança e integridade
física dos filhos.
Uma coisa é permitir que os filhos decidam se querem a sobremesa X ou
Y, outra coisa é deixar que eles decidam se querem jantar ou comer
salgadinhos.
Quando os filhos estão doentes você não pergunta se eles querem o
remédio ou o tratamento que o médico prescreveu. Simplesmente você
faz o que tem que fazer porque a saúde deles depende disso.
No que refere-se a escola é a mesma coisa. Você deve ter em mente
quais ferramentas e estratégias quer que o seu filho desenvolva para
poder gerir a própria vida no futuro. Assim, é preciso definir qual escola
tem a proposta alicerçada nesta visão. Já o seu filho ficará encantado
pelas instalações, assim, se a escola que você escolher tiver também o
que ele quer, então tudo bem.
Lembre-se sempre, os filhos não tem visão de futuro, pois não
apresentam maturidade para pensar nisso. Cabe aos Pais planejar e
decidir.

DICA nº 4 - FOCAR NAS HABILIDADES DOS FILHOS E NÃO
NAS FRAQUEZA
S.

Na sociedade, em geral somos estimulados a focar nas nossas fraquezas,
naquelas coisas que não fazemos bem ou que temos extrema dificuldade.
Perdemos tanto tempo procurando ser bons em todas as áreas, que
esquecemos de cuidar das áreas que somos realmente bons.
Com os filhos acontece a mesma coisa. Observamos logo onde os filhos
tem dificuldade e logo tratamos de destacar e fazê-los concentrarem-se
mais, a dedicarem esforços em transformar aquela área deficiente.
Assim , muito cedo, eles crescem aprendendo a concentrarem-se no
`defeito` no que é uma fraqueza, ao invés de fazerem desabrochar os
talentos e habilidades que já possuem.
Ajude os seus filhos a identificarem as áreas em que são bons. Sabe
como você os ajuda a descobrir isso? Aqui vai um exercício para você,
depois faça-o com os seus filhos.
- o que você começa a fazer e quando se dá conta o tempo passou que
você nem percebeu?
- o que você faria se não precisasse trabalhar ou estudar o dia todo
- sobre o que você gosta de falar,
- qual é a sua atividade e/ou assunto preferido
- pense em algo que você se vê fazendo no seu momento de lazer, ou
férias, ou quando aposentar
- no último ano qual foi o assunto dos livros que você comprou?
- o que você faz com extrema facilidade que todos elogiam
- que atividade ou assunto você sente `fome` e a todo momento sai em
busca dessa `comida`
Depois de responder as perguntas, faça uma lista e você verá onde estão
os seus talentos e habilidades. Permita-se a exercitá-los, pois caberá a
você guiar os seus filhos no desabrochar dos talentos e habilidades
deles.
Lembre-se, os talentos e habilidades são aquelas áreas onde realmente
brilhamos, damos o nosso melhor, onde somos excelentes e podemos
fazer a diferença na vida de outras pessoas.
Por isso, comece agora a exercitar os seus e os talentos dos seus filhos.
O mundo agradece !!!

DICA nº 5 - MANTENHA SUAS PROMESSAS.

Provavelmente seu filho não se lembrará de todas as grandes coisas que
você fez por ele, porém, ele jamais esquecerá as promessas não
cumpridas.
Quando os filhos são pequenos, eles acreditam piamente nos pais e
acabam por criar expectativas fantasiosas.
Assim, quando os pais fazem promessas, mas não as cumprem, começam
a questionar a credibilidade dos pais, pois sentem-se traídos com as
promessas quebradas.
Por não manter a sua palavra e quebrar as promessas feitas, você está
passando uma mensagem para os filhos de que eles também não
precisam cumprir as promessas que eles fizerem.
Esteja atento a esta questão, pois envolve em abalar a confiança que o
seu filho tem em você. Claro que algumas vezes não será possível
cumprir uma promessa feita, por exemplo no caso de uma emergência ou
doença.
O que deve ser feito é comunicar à criança o motivo das circunstâncias
que impossibilitarão o cumprimento da promessa, de modo que esteja
claro para a criança e não haja abalos na confiança depositada em você.
Por isso, jamais comprometa-se com algo que você já saiba de antemão
que não será possível cumprir. Jamais ceda aos pedidos dos seus filhos.
Se você não estará disponível para um determinado passeio não se
comprometa apenas para agradá-los na hora. Seja honesto sobre o que
você pode e o que não pode fazer.
Agindo assim, você não estará apenas fortalecendo o elo de confiança
entre vocês, mas também estará ensinando sobre integridade. Seus filhos
a amarão e a admirarão por isso.

DICA nº 6 - ENSINE OS FILHOS QUE ELES NÃO ESTÃO
NESTE MUNDO A PASSEIO.

Se você quer saber o que o seu filho acha da vida dele, é só parar de dar
o que ele quer.
Frequentemente ouço os pais afirmarem com tristeza, que os filhos não
valorizam nada, e que acham que estão neste mundo a passeio, apenas
para desfrutarem das conquistas que os pais obtiveram através de
trabalho árduo.
Como os jovens ficam desse jeito? Não é nossa responsabilidade,
enquanto pais, ajudar nossos filhos a ter valores, a serem responsáveis e
independentes?
Saiba que as crianças e os jovens não pensam na própria mortalidade,
assim não tem visão de futuro, projeto de vida ou de deixar um legado
para as gerações futuras. Crescem com uma visão simplista do que é a
vida e do propósito da própria existência.
Por isso os pais precisam ser honestos a respeito da realidade da vida,
bem como ajudar os filhos a construírem as ferramentas que serão
necessárias para que cheguem a vida adulta preparados para enfrentar
várias adversidades.
A vida adulta vai requerer adultos que tenham ética, caráter e que
contribuam com o mundo, ajudando a aliviar as misérias humanas. Para
isso é necessário que os pais invistam na construção de um lar
fortalecido, pelo amor, compreensão e valores familiares.
Mostre aos seus filhos o quanto eles são afortunados por terem a vida
que tem, levando-os a visitar instituições, asilos, creches, favelas.
Incentive-os a participar dos problemas e soluções da comunidade em
que vivem. Apóie-os em realizar trabalho voluntário doando o tempo livre
em prol dos necessitados.

DICA nº 7 - ENSINE OS FILHOS A APRENDER COM OS
PRÓPRIOS ERROS.

As crianças cometem erros, mas é imperativo que os pais ajudem os
filhos a lidar com o desapontamento e o fracasso. As crianças precisam
destas experiências, pois são uma excelente ferramenta de
aprendizagem.
Como pais, podemos ajudar compartilhando com os filhos, alguns dos
nossos erros e falhas, para que eles saibam e vejam que não somos
perfeitos, mas principalmente, aprendam como lidamos com os nossos
erros no passado.
Os filhos precisam ser tranqüilizados que um erro não transforma alguém
em má pessoa, que apenas o ato foi errado, porém, a pessoa tem
condições de lidar com esse erro, desde que saiba quais estratégias usar
para a solução do problema.
Um modo de ajudar os filhos a criar a solução para os problemas é
ensiná-los a isolar o problema, a causa e os envolvidos. Feito isso, é
preciso levantar as possíveis alternativas, analisando as conseqüências e
implicações de cada uma, e só então tomar a decisão ou fazer a escolha.
O que não se deve fazer: Reações negativas
É comum situações onde ao invés dos pais ajudarem os filhos a lidar com
os erros, adotam uma postura que contribui para criar ressentimentos e
fechar o coração dos filhos.
Reações negativas por parte dos pais, tais como o uso de sarcasmo ou a
ridicularização dos filhos só aumenta a distância entre pais e filhos e
dificulta a comunicação no lar.
Por isso jamais humilhe o seu filho, pois fazendo isso ele tem o seu valor
enquanto indivíduo diminuído, o que abala a sua auto confiança e o faz
sentir-se inseguro para novas situações.
O que deve ser feito: Encorajamento
Encoraje cada tentativa e cada sucesso, por menor que seja, tais como:
`Filho, você pode ficar orgulhoso de como lidou com isso` ou ainda
`Você conseguiu ! Comemore” , “ Realmente você resolveu esse
problema muito bem."
Evite resolver os problemas do seu filho. Dê espaço para que ele possa
pensar sobre o problema e tenha tempo de avaliar a situação de modo
que ele compreenda melhor o que aconteceu, e porque.
Dê o seu apoio ouvindo-o sem julgamento. Evite dizer " Eu acho que você
deveria..... " , ao invés disso, use a frase " Diga-me o que aconteceu, "
ou " O que você acha que poderia fazer de diferente na próxima vez? `
Agindo desse modo, na próxima situação que o seu filho enfrentar, tenha
certeza, ele já terá algumas ferramentas de como proceder e estará
muito mais seguro.
Como pais, é nossa tarefa encorajar os esforços, assim como os sucessos
e ensinar os nossos filhos a extrair aprendizado dos fracassos.

DICA nº 8 - SEJA CONSISTENTE COM AS REGRAS

Você estabelece as regras de rotina e disciplina para os filhos e depois
você volta atrás sempre que é conveniente ?
Você diz ao seu filho “ nada de televisão nesta semana”, mas ao longo da
semana permite que ele assista, quebrando assim a regra e confundindo
o seu filho.
As crianças precisam de consistência em suas vidas a fim de
compreender os valores familiares e os limites dentro do lar.
Oriente todos os membros da família e os envolvidos diretamente na
educação dos seus filhos, a compreender e respeitar as regras da casa,
principalmente no que refere-se a aplicação da disciplina.
Deixe claro para os seus filhos quais são as regras, as conseqüências para
o descumprimento delas e não esqueça de informar quando haverá
exceção a regra.
Não importa quais sejam as regras, repita-as frequentemente aos seus
filhos para que eles as compreendam e as internalizem.
Mudar as regras constantemente, faz com que as crianças sintam-se
inseguras por não saberem quando e qual regra será aplicada à situação.
Lembre-se, as crianças precisam de constância e previsibilidade. Por isso
aplique e reforce sempre as regras.
Se você deseja que seu filho seja honesto, jamais peça para ele mentir
por você, pois a credibilidade de sua fala depende de como você vive as
regras que ele tem que cumprir.

DICA nº 9 - ORIENTE SEU FILHO, JAMAIS FAÇA POR ELE.

Você dá ao seu filho a oportunidade dele pensar por si mesmo, ou você
fornece todas as respostas ?
Se você o está acostumando a ter todas as respostas prontas, é bem
provável que ele não estará apto a tomar as próprias decisões.
Sua tarefa enquanto pai é tornar seu filho um adulto independente e
responsável. Para que seu filho desenvolva esta habilidade você deve
orientá-lo a analisar e avaliar as informações que ele recebe através da
televisão, dos amigos e de estranhos.
Ajude seu filho a considerar soluções alternativas para todas as situações
que ele enfrentar. Pratique com ele a resolução de problemas. Leia
jornais ou revistas e peça para que ele compartilhe a opinião sobre o
assunto.
Nas tarefas escolares, peça para que o seu filho explique o que precisa
ser feito, pois ao ter que lhe explicar, ele acaba organizando o
pensamento e focando a atenção no que é relevante.

DICA nº 10 - PARE, PRESTE ATENÇÃO E OUÇA.

Na escola, os professores quando querem a atenção da classe
simplesmente utilizam-se de três comandos: Parem, Prestem atenção e
Ouçam.
Esta é uma estratégia que você pode utilizar em casa para mostrar aos
seus filhos que você está prestando atenção a eles.
O que você faz quando seus filhos querem falar com você? Se você é
como a maioria dos pais que estão sempre ocupados e que jamais
pensaram sobre isso, aqui vai um passo a passo fácil de seguir:
1. PARE - pare o que quer que você esteja fazendo. Esteja focada no seu
filho e na conversa que ele quer ter, pois quando você está fazendo outra
coisa enquanto conversa você não está 100% engajada na conversa e
com certeza perderá algo do que foi dito e não estará concentrada o
bastante para perceber a linguagem verbal que seu filho estiver passando
na conversa.
2. PRESTE ATENÇÃO - olhe diretamente para o seu filho. Deixe ele saber
que você está prestando atenção total ao que ele está dizendo.
3. OUÇA – ouça com os ouvidos, mente e coração. Ouça atentamente,
sem interromper ou julgar.
Para que ele também aprenda a como lhe dar atenção, jamais fale com
ele aos gritos e de longe. Faça-o vir até você e olhando diretamente para
ele diga o que precisar. Da mesma forma, jamais aceite que o seu filho
dirija a palavra a você estando de longe e aos gritos.

DICA Nnº 11 - FAÇA O QUE EU DIGO E FAÇA O QUE EU FAÇO.

As crianças aprendem muito mais copiando o que fazemos do que
copiando o que falamos.
As crianças prestam muita atenção em como os pais se comportam e
agem. Se você deseja modelar o comportamento do seu filho então
caberá a você comportar-se de forma apropriada em todas as situações.
Para que os pais possam ajudar os filhos a aprender a comportarem-se
adequadamente, precisará em primeiro lugar, o próprio pai passar esse
modelo de comportamento em todas as ações no dia a dia.
Assim, se os seus filhos vêem você gritar, blasfemar ou ainda denegrir a
imagem de alguém quando você está nervoso então seu filho vai supor
que é aceitável comportar-se da mesma maneira.
Então, trate os outros com respeito, demonstre confiança, e desenvolva
melhores formas de se comunicar de modo que seu filho veja um modelo
aceitável de comportamento.
Mostre disciplina e auto controle e seu filho copiará o mesmo
comportamento.

DICA nº 12 - QUAIS OS VALORES DA SUA FAMÍLIA ?

Se você enquanto pai, optar em conseguir as coisas através do caminho
mais fácil, seus filhos farão o mesmo. Se você mente, seus filhos serão
inspirados a praticar a mentira também. Se você gasta todo seu dinheiro
e jamais pensa no futuro e em como ajudar os outros, seu filho com
certeza crescerá com valores distorcidos em relação ao dinheiro e às
necessidades das outras pessoas.
Se você costuma fazer piadas a respeito de outras culturas, raças ou
classes sociais, saiba que estará passando o veneno de tudo o que é
errado para que a próxima geração também continue com valores
errados.
Você quer uma sociedade diferente da que existe hoje? Então pense em
que tipo de indivíduo seu filho será quando tiver que entrar na sociedade
e contribuir com ela.
Quais são os seus valores? Seus filhos sabem quais são os valores que a
sua família preza? Não seja inocente ao achar que os seus filhos já sabem
quais são os valores da sua família só porque uma vez ou outra você já
falou para eles.
A melhor maneira de passar os valores familiares é vivê-los no dia a dia.
Se você valoriza a Verdade então aja de modo a demonstrar isso. Se você
valoriza a Educação, demonstre aos seus filhos a importância da boa
instrução.
Seja consistente em seu comportamento e suas escolhas. Seja um
exemplo para seus filhos, principalmente quando são mais novos, de
modo que incorporem estes valores em suas vidas.
Você pode distribuir livremente entre seus
amigos, conhecidos, e todos aqueles que você saiba que
precisa de ajuda na educação dos filhos.
                                                            Roseli Brito
                                                           Coach de Pais 
Para maiores informações acesse o site:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
google-site-verification: google261ea1355834037a.html